' Camila, por Camila.

Minha foto
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
Citando Clarice já de início, diria que 'minha alma tem o peso da palavra nunca dita.' Com um pouco de ousadia diria ainda que 'a palavra é meu domínio sobre o mundo!' Mais! Diria que sou compulsiva com coisas que gosto, como livros, filmes, séries, fotos, entre tantas outras. Gosto de muito mais coisas do que não gosto. Sou facilmente conquistada, e não sou tão fácil de desconquistar. Para escrever, me considero muito mais subjetiva, na vida muito mais objetiva. Posso dizer que amo, amo os amigos, os que me amam, e mesmo os que não amam. Mas, me assusto com o amor, acho o amor forte demais, grande. E não sei lidar muito bem com ele. Tenho medo de amar e magoar, de ser amada e magoada. Tenho medo de tanta coisa... Sou aquela que quer decidir o que fazer da vida e quer fazer isso direito. Aquela aspirante a Historiadora e que gosta muito, mas sempre tem um pouco de dúvida. Mas, falar de si mesmo é parcial demais, deixo para os que me conhecem e ainda assim me compram! Por Camila.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Socialização. (Parte 1)

Quando coloquei nesse post o nome de Socialização, foi porque tenho falado muito sobre esse assunto.
A Parte 1, será direcionada à uma viagem que fiz a Ouro Preto, que foi bem interessante, no sentido da socialização.

Ouro Preto - 4 dias.

Nunca pensei que conheceria pessoas como as que conheci em Ouro Preto, pessoas simpáticas e que sempre te tratam muito bem. Nunca me senti tão bem recebida, e acolhida em um lugar estranho, com pessoas estranhas. Mas, além de estranhas, pra mim, essas pessoas foram muito educadas, assim como amigas. Todos conversavam tão abertamente, e mesmo sem me conhecer eram legais, sempre divertidas e abertas a novas amizades.
A alguns posts atrás, escrevi sobre as pessoas que me deixavam depressiva, pessoas sem perspectiva de futuro, e que se contentam com muito pouco. Em Ouro Preto, conheci pessoas completamente diferentes. Pessoas que estão longe de ser santas, mas sempre concientes e focadas em seus estudos, e trabalhos. Pessoas que não deixam de se divertir, mas não se jogam totalmente na diversão esquecendo de todo o resto. Pessoas que pensam como adultos, e se responsabilizam por seus atos. E não adultos que pensam como adolescentes em crise.
Isso me fez voltar ao que eu tantas vezes pensei e compartilhei com vocês, existem sim pessoas legais no mundo, elas estão unidas, e sempre estão abertas, para te aceitar, caso você esteja disposto a se inserir no meio. Nessa viagem, conversei com muita gente, fiquei em uma república com nove mulheres, e todas foram muito simpáticas, cada uma da sua maneira, cada uma no seu jeito de ser. Nunca gostei de puxar papo com pessoas, conhecidas ou não, mas, lá é inevitável que isso aconteça, e quando você assusta, já contou sua vida para aquela pessoa com quem conversa.
Pode parecer estranho, mas, certas coisas que vivemos, mudam muito o nosso jeito de ver o mundo, assim como as pessoas do mundo. Não estou dizendo que lá as pessoas sejam totalmente honestas, e nem estou generalizando, mas, no domingo resolvi voltar pra casa cedinho. Saí da república em que me hospedaram e peguei um ônibus até a rodoviária. Comprei minha passagem, e resolvi comer, tomar um café da manhã enquanto esperava os trinta minutos que faltavam para que meu ônibus saísse. Quando fui entrar no ônibus, não achava de maneira alguma a passagem que tinha guardado no meu bolso. Tentei manter a calma, procurei na mochila, olhei no banco onde estava sentada, mas não encontrei. Foi aí que um senhor, que pegara ônibus comigo na hora de ir para a rodoviária, me mostrou a passagem e disse: 'Percebi pela sua expressão! Você deixou a passagem cair na lanchonete.' Eu acho que nunca pareci tão aliviada quanto naquela hora, porque não tinha dinheiro e nem sabia voltar para a república, meu celular estava sem créditos e eu estava totalmente ferrada, se não fosse a honestidade daquele rapaz. Eu o agradeci várias vezes e então pude voltar pra minha casa, sabendo que naquela cidade, as pessoas são diferentes, são mais amigas, sociáveis e se importam mais com os outros.
Espero voltar mais vezes a Ouro Preto, e quem sabe, se eu passar no vestibular, morar lá, apesar de que isso seria complicado, mas, isso é assunto pra outro post. Espero que as pessoas dali sejam sempre tão alegres e amigas, e que essas pessoas nunca percam essa educação e essa preocupação com o outro. Foi isso, o que eu vi nas pessoas de Ouro Preto, muito mais do alcool e festas, há também união.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top 10 da Semana.

  • 1º Músicas - Marcelo D2, Los Hermanos, Chico Buarque
  • 2º Livros - Leite Derramado
  • 3º Pessoas - Eduardo, Pedro, Jessyca, Leka
  • 4º Filmes - Sociedade dos Poetas Mortos
  • 5º Séries - Star Trek, One Tree Hill
  • 6º Comidas - Pizza
  • 7º Poema - Poema de Sete Faces
  • 8º Bebidas - Fanta Uva
  • 9º Lugar - Casa do Eduardo, Pizzaria
  • 10º Pensamento - "Iaiá, se eu peco é na vontade de ter um amor de verdade, pois é."
Ocorreu um erro neste gadget

Leitores *